Tag: Cozinha

8 itens inovadores de cozinha sem os quais já não sei viver

É claro que podemos passar bem sem algumas bugigangas. Eu, por exemplo, passei muito tempo vivendo maravilhosamente sem alguns itens de cozinha.  Mais por falta de conhecê-los do que por desmerecer sua utilidade. E confesso que depois de experimentar já não posso mais viver sem eles.

Hoje existem coisas que a gente nem sonhava no passado e eu simplesmente adoro ter acesso a elas. Com isso também descobri opções de presentes que são incríveis! E quem não gosta de presentear quem se ama com mimos inusitados?

Não estou falando de panelas. Embora eu tenha investido em algumas que são incríveis. Isso porque hoje existe design moderno, cores e materiais extremamente avançados, que não demandam nem um fio de óleo. E fazem toda diferença no sabor do alimento.

Mas não foi apenas o ato de cozinhar que deixou de ser só uma necessidade para ser realizado com prazer. Quando se organiza uma casa, encontrar objetos bonitos e inovadores faz os olhos de qualquer Dominique brilharem.

Seja para combinar todos os itens, cozinhar com maior facilidade, inventar receitas novas ou decorar o ambiente, ter as coisas certas faz toda a diferença.

Quer ver?  Vou te mostrar 8 objetivos que não vão sair nunca mais da minha casa.

1.Growleer

Que tal tomar seu chope favorito no conforto do seu sofá, no churrasco do fim de semana, na casa de um amigo, na praia ou em qualquer lugar que você esteja? É pra isso que o Growleer foi inventado.

Pode até parecer inútil, mas é uma experiência e tanto pra quem aprecia uma boa degustação. O recipiente pode ser de vidro, de cerâmica ou de alumínio. Ele possui tampa de rosca ou pressão com presilha. Esse modelo de tampa evita a perda de gás carbônico, conservando assim, por alguns dias, todo o frescor e sabor da bebida com a mesma qualidade.

2.Colher com balança digital de precisão

Porque sim ué! Eu acho que faz toda a diferença medir precisamente os ingredientes. Eu, por exemplo, vivo errando a mão no sal. E detesto comida salgada demais, que não nos deixa apreciar o sabor do alimento. Além de economizar tempo.

3.Termocirculador sous-vide

Se você é um amante da gastronomia, já ouviu pelo menos falar do sous-vide ou sob vácuo, em português. Mas para a maioria das pessoas, essa técnica de cozinhar alimentos ainda é completamente estranha.

Trata-se de um método em que o alimento é cozido em embalagens plásticas e herméticas, seladas a vácuo e imersas em uma vasilha de água com controle preciso tanto de temperatura (mais baixa que a tradicional), como de tempo.

Para tal controle, é necessário um aparelho chamado termocirculador como o da foto abaixo:

4.Mini fogão de parede

Eu sei. Você vai achar desnecessário, mas é igual ao forno elétrico. Não ocupa espaço e é muito prático para quem como eu detesta micro-ondas. Também é ideal para as Dominiques que moram sozinha e não tem o hábito de cozinhar com frequência. Eu presentei uma amiga minha que se mudou para um apartamento pequeno em Portugal e ela amou!

5.Concha de dinossauro

Ain!!! Mas por que não posso viver sem uma concha de dinossauro? Porque além de linda e criativa, ela é super prática também. E transforma a cozinha num dos ambientes  mais animados do lar, em que se quer sempre estar.

6.Colher que mexe sozinha

Já pensou que sonho? Cozinhar e não precisar ficar mexendo aquela receita sem parar para não desandar. É isso mesmo! Essa colher não requer nenhum esforço. É só ligar e deixá-la misturando na panela enquanto você faz o que quiser. Definitivamente, não vivo sem.

7.Resfriador de bebida instantâneo

É chato quando convidamos alguém para beber um vinho e a bebida não está em temperatura ideal, não é? Seus problemas acabaram! Veja esse bico feito com o mesmo aço inoxidável dos tanques de conservação.

Refresca a sua bebida em até 15° C deixando muito mais agradável para ser saboreada, dispensando a utilização de baldes de gelo e uso de refrigerador.

8.Escorredor de massa ajustável

Eu amo macarrão, mas detesto lavar o escorredor. Me parece algo tão inútil sujar muita louça para uma comidinha que deveria ser prática… Então olha só o que eu achei? Esse utensílio é regulável e serve para qualquer panela. Não é bárbaro?

E, então! Confessa se não ficou com desejo de alguns desses itens?

Leia também Cozinha e Copa – Os lugares mais badalados e gostosos da casa.

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Receitas de bacalhau para inovar a tradição da Páscoa

Nem só de chocolate é feita a Páscoa. A tradição também pede à mesa o peixe, principalmente o bacalhau. É um clássico da época, tal qual o ovo de Páscoa! E não importa a sua preferência. Há sempre uma receitinha que casa super bem com a ocasião, capaz de agradar toda a família. Eu separei as minhas preferidas para te ajudar a planejar um cardápio tudo de bom!

Não sei se você sabe, mas o bacalhau é uma denominação para diversas espécies de peixes encontrados nos mares frios da Escandinávia. Dinamarca e Noruega são os mais famosos produtores!

De sabor incomparável, é um peixe que vai bem com todos os tipos de acompanhamentos. Seja em posta, desfiado, em lascas, assado, cozido ou frito.

Viu?

O que não faltam são opções para você preparar.

Mesmo para quem como eu não tem muito jeito na cozinha, há receitas simples que são irresistíveis.

Confira algumas delas e escolha a sua preferida!

#Escondidinho de bacalhau

INGREDIENTES

1 kg de bacalhau dessalgado e desfiado

1 kg de mandioca cozida e amassada

1 creme de leite

1 requeijão

1 cebola grande picada

1/2 vidro de leite de coco

1/2 xícara de azeitonas picadas verde ou preta

200 g de mussarela em fatias ou ralada

Azeite para fritar a cebola

Cheiro verde a gosto

MODO DE PREPARO

Bacalhau

Em uma panela coloque o azeite e frite a cebola.

Coloque o bacalhau, já dessalgado e desfiado e refogue.

Acrescente as azeitonas e por último o cheiro verde.

Reserve.

Massa da Mandioca

Em uma tigela coloque a mandioca já amassada.

Acrescente o requeijão cremoso, o creme de leite e 1/2 xícara de leite de coco.

Misture bem e reserve.

Em um refratário coloque metade da massa da mandioca, todo o bacalhau refogado e por cima o restante da massa da mandioca.

Cubra com a mussarela com papel alumínio e leve para gratinar por 20 minutos. Sirva.

# Risoto de Arroz Negro com Bacalhau e Castanhas Portuguesas

INGREDIENTES

200 grama(s) de arroz negro

100 grama(s) de castanhas portuguesas congeladas pré-cozidas

1 colher(es) de sopa de manteiga

1/2 cebola

1/2 xícara(s) de chá de vinho branco seco

1 litro(s) de caldo de legumes

50 grama(s) de queijo parmesão ralado

200 grama(s) de bacalhau dessalgado desfiado

pimenta-do-reino a gosto

sal a gosto

colher(es) de sopa Azeite a gosto

1 ramo(s) de cerefólio, para decorar

MODO DE PREPARO

Passe as castanhas na frigideira com azeite deixando dourar levemente. Reserve.

Em uma wok ou frigideira larga, refogue a cebola na manteiga. Junte o arroz negro e vá cozinhando, acrescentando os temperos, o vinho e o caldo de legumes.

Quando o arroz estiver “al dente” e com sabor, adicione as lascas do bacalhau, misturando sempre. Esmague algumas castanhas e adicione à frigideira. Em seguida, adicione o queijo e depois o azeite.

Sirva em um prato decorando com algumas castanhas inteiras e um raminho de cerefólio por cima.

#Bacalhau ao forno

INGREDIENTES

1kg de lombo de bacalhau

2kg de batatas em rodelas

5 cebolas fatiadas

2 pimentões amarelos fatiados

4 pimentões vermelhos fatiados

150g de azeitonas pretas

alho fatiado a gosto

500ml de azeite de oliva

MODO DE PREPARO

Deixe o bacalhau de molho na água, dentro da geladeira.

Troque a água a cada 6 horas durante 3 dias consecutivos.

Quando escorrer o bacalhau pela última vez, jogue a água em uma panela e acrescente as batatas em rodelas.

Cozinhe as batatas al dente e reserve.

Em uma panela, ferva 2 litros de água.

Desligue o fogo, acrescente o bacalhau e tampe a panela por 10 minutos (assim o bacalhau cozinha e não resseca).

Escorra o bacalhau, retire os espinhos e a pele e separe-o em lascas grandes.

Em uma frigideira grande, aqueça uma xícara de chá de azeite e frite as batatas até dourarem. Reserve.

Na mesma frigideira, refogue os pimentões, a cebola e o alho no azeite. Reserve.

Em uma travessa grande, faça camadas de batata, bacalhau, cebola, pimentões e azeitonas.

Regue com o azeite restante e feche com papel alumínio.

Leve ao forno preaquecido a 180ºC por 40 minutos.

Retire do forno e sirva em seguida.

Um bom truque para nunca mais errar nos preparos no forno: as batatas e as cebolas devem ir para a assadeira já pré-cozidas. Se forem cruas junto com o bacalhau, até atingirem o ponto certo, o peixe já estará seco e sem graça.

#Salada de grão-de-bico com bacalhau

Resultado de imagem para salada de grão de bico com bacalhau

INGREDIENTES

1/2 kg de bacalhau cozido e desfiado

1/2 kg de grão de bico cozido al dente

2 cebolas grandes cortada em pedaço pequenos

1/2 copo de azeite

Vinagre a gosto

Sal a gosto

Salsinha/cebolinha a gosto

MODO DE PREPARO

Cozinhe o bacalhau por 20 minutos, reserve.

Cozinhe o grão de bico na água do cozimento do bacalhau por 30 minutos até ficar al dente.

Coloque tudo numa travessa grande e vai acrescentando os outros ingredientes misture bem e sirva frio de preferência no outro dia.

#Bacalhau ao requeijão gratinado

INGREDIENTES

1kg de bacalhau dessalgado

1kg de batatas

1 litro de leite

3 colheres de sopa de manteiga

800 gramas de requeijão firme (tipo Catupiry)

150g de parmesão ralado grosso

2 cebolas grandes picadinhas

Azeite para refogar

Sal a gosto

Salsinha e azeitonas para decorar

MODO DE PREPARO

Cozinhe o bacalhau sem pele, já dessalgado, no leite, até que fique macio. Retire com uma escumadeira, deixe esfriar e desfie em pedaços grandes. Reserve.

Cozinhe as batatas descascadas no mesmo leite em que cozinhou o bacalhau. Passe ainda quentes pelo espremedor.

Junte a manteiga e um pouco do leite em que cozinharam, se for necessário, para formar um purê. Acerte o sal se for preciso.

No azeite, refogue as cebolas até ficarem douradas. Acerte o sal e reserve.

Num pirex com azeite no fundo coloque o bacalhau desfiado.

Por cima espalhe a cebola frita e o requeijão em temperatura ambiente (reserve cerca des 300g para colocar por cima).

Coloque o purê numa manga de confeitar com bico pitanga grande e vá cobrindo toda superfície. Faça o mesmo com o requeijão reservado.

Polvilhe parmesão ralado grosso e leve ao forno para aquecer e gratinar.

Decore com azeitonas pretas sem caroço e salsinha bem picadinha.

Aproveite a ocasião e leia também Passo a passo para montar um maravilhoso arranjo de mesa na Páscoa.

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Como escolher as plantas perfeitas para sua primeira horta em casa

Vasos de plantas ou jardineiras com temperos são perfeitos para fazer sua primeira horta em casa, seja para decoração ou para o uso no dia a dia. Eles são ideais para quem – como eu – não tem muita intimidade com o cultivo. E o melhor: não precisa ter espaço grande.

Depois de uma série de fracassos já vou logo avisando que a forma mais fácil de começar é plantando temperos para cozinhar. Porque são ervas bem comuns, fáceis de encontrar e cujo trato é mais simples. Ou seja, não requer grandes habilidades de uma jardineira de primeira viagem.

Se você tem dúvidas sobre o que plantar na horta em casa, eu te conto os segredinhos das minhas cobaias. Eu selecionei as mais comuns para esse tipo de cultivo e que podem servir de ponto de partida para um futuro jardim repleto de plantas de todos os tipos!

Manjericão

O manjericão é uma planta muito versátil, utilizada em diversos pratos e muito comum em algumas regiões do Brasil. Ele se adapta muito bem a climas mais quentes e gosta de bastante sol. Para mantê-lo em casa, é preciso regá-lo constante e moderadamente. Uma dica importante: as flores do manjericão “roubam” a força da planta e devem ser cortadas.

Alecrim

De origem mediterrânea, o alecrim é uma planta rústica e que vive muito bem em climas quentes e terrenos mais arenosos. Na horta em casa, ele não precisa de água em abundância para viver e é bem resistente. É comumente utilizado em preparos de carnes e é um coringa na horta da cozinha.

Hortelã

Erva extremamente aromática que vive bem em áreas com um pouco menos de sol, é uma ótima opção para a horta em casa. Sua raiz, que se espalha rapidamente, e seu aroma forte podem prejudicar o crescimento de outras plantas. Sendo assim, o ideal é que a hortelã seja plantada em um vaso ou espaço separado de outras plantas.

Orégano

Orégano lembra… pizza! Mas este tempero também dá um toque especial a assados e molhos. Para a horta em casa, é bom saber que ele adapta-se muito bem a climas mais amenos, mas não abre mão do sol. Assim como o manjericão, o orégano gosta de regas moderadas e constantes.

Pimenta

A culinária brasileira é recheada de diversas preparações utilizando a pimenta. A infinidade de espécies também permite que você tenha uma horta na cozinha só de pimentas. Cá entre nós, bom para espantar o mau olhado. A pimenta também precisa de um espaço isolado na horta em casa, pois ela também pode prejudicar o desenvolvimento de espécies mais frágeis e que estejam ao seu lado.

Salsa

Outro tempero muito comum na culinária brasileira é a salsa, que gosta de climas mais amenos e suporta bem ambientes com menos sol em que haja um pouco de sombra. Então, tenha em mente que a salsa gosta de solos com boa drenagem e irrigação constante.


E então? O que achou? Pronta para botar as mãos na terra?

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Receita prática e deliciosa feita na Panela de Pressão

Dominique - Panela
A sugestão de hoje envolve a famosa e aterrorizante Panela de Pressão!

Quem nunca sentiu pavor de uma dessas?  Quem nunca ouviu algum caso de destruição de cozinha por uma dessas?

Assim como acontece com a maioria de nós, com o passar do tempo, minha casa foi se tornando uma casa dormitório.

Filhos crescidos e independentes, que saem pela manhã e voltam à noite (quando voltam), ninguém para almoçar ou jantar nos finais de semana, visitas cada vez mais raras e muita comida desperdiçada na geladeira.

Neste cenário, resolvi que eu não precisava mais de uma ajudante em todos os dias da semana. Fiz um acordo com a Emília e reduzi a frequência para duas vezes por semana.

Uma bela decisão, uma boa economia, mas… tudo tem seu ônus. Me esqueci que algumas atividades teriam de ser feitas por nós (moradores da casa) e entre estes afazeres estava: COZINHAR. Peguei para mim esta função e confesso que gostei bastante.

Ocorre que com o tempo fui sentindo a necessidade de me atualizar com alguns apetrechos da culinária e a panela de pressão foi uma das necessidades.

Demorei 50 anos para conseguir colocar uma panela dessas em ação sem sair correndo da cozinha, mas quando aconteceu, descobri a sua utilidade e também que hoje em dia elas são mais modernas e possuem válvulas sofisticadas e seguras.

O improvável aconteceu e comecei a utilizar minha Panela de Pressão com mais frequência.

Nosso cardápio de hoje surgiu da necessidade de ganhar tempo na cozinha. Com a utilização da panela de pressão é possível realizar outras atividades enquanto ela está no fogo sem que seja preciso vigiá-la.

Ao fechar a tampa, basta marcar o tempo de voltar para desligar o fogo. Para os ingredientes, todos são de fácil manuseio e não necessitam de grandes limpezas. Tudo muito prático.

Vamos lá…

Separe duas xícaras de grão de bico e deixe-os de molho na água por duas horas. Dispense essa água e coloque o grão de bico já hidratado na panela de pressão com água suficiente para cobrir grãos até dois dedos acima. Adicione apenas sal e coloque a panela para funcionar. Quando iniciar a pressão, diminua o fogo e deixe cozinhar por 35 minutos. Apague o fogo e deixe a pressão sair.

Abra a panela e separe os grãos, mas mantenha a água na panela, pois vamos cozinhar o frango neste mesmo caldo. Coloque dois peitos pequenos de frango, uma cebola grande cortada grosseiramente, quatro dentes de alho já descascados e apenas cortados ao meio, um pouco de pimenta do reino fresca, um fio de azeite, mais um pouco de sal e volte a panela para a pressão por mais 20 minutos.

Lembre-se de diminuir a chama assim que a panela começar a pressão e a contagem do tempo deve ser iniciada neste momento.

A panela só deverá ser aberta quando não houver mais pressão interna ou quando esfriar. Observe que agora você tem o caldo do grão de bico misturado com um caldo de frango. Fica muito mais saboroso.

Desligue o fogo, aguarde a pressão sair novamente, abra a panela e separe o frango, mantendo novamente o caldo na panela.

Neste caldo, coloque cubos de ¾ de uma abóbora sem casca e sem semente por mais 15 minutos na panela de pressão. Nesta hora você pode acrescentar mais temperos a seu gosto. Alguns galhos de alecrim ou de astragão.

Sua sopa já está pronta!

À parte, desfie o frango, que deverá estar bem macio e temperadinho. Jogue-o em uma panela, com um pouco de azeite, cubinhos de tomate, sem as sementes, acrescente o grão de bico com muito cheiro verde e salsinha, meio copo de água e deixe refogar, mas não secar. O ideal é que fique molhadinho.

Tome a sopa no jantar com torradinhas de pão amanhecido, regado com um fio de azeite, sal do Himalaia e um pouco de orégano. Deixe torrar no seu forninho elétrico.

Guarde o refogadinho de frango com tomates e grão de bico para o almoço. Pode acompanhar apenas uma salada de alface com molho de limão e ervas.

Agora eu AMO a panela de pressão!!!

Leia também:

Cozido: a receita retrô que nunca sai de moda. Experimente!

Acompanhamentos diferentes para caprichar no fondue

1 Comentário

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Cozinha e Copa – os lugares mais badalados e gostosos da casa


Qual é a sua relação com a sua cozinha? De amor? De afeto? Amigável? De aparências? De indiferença?

A ideia de cozinha traz consigo uma carga afetiva em nosso imaginário. É muito comum ser o ambiente preferido da família. Remete a cheiro de café recém-passado, de bolo saindo do forno, de mesa do café da manhã com a família reunida (tipo comercial de margarina). Em contrapartida, a vida agitada reserva muito pouco tempo para dedicação na arte de cozinhar. Mesmo assim, quem não quer uma cozinha de sonhos?

Hoje a cozinha é o ambiente mais caro da casa, na hora de montá-la ou de modernizá-la. Eu percebo que muitas pessoas se dispõe a gastar fortunas numa cozinha, não importando se gostam ou não de cozinhar.

A história da evolução da cozinha, no contexto dos lares brasileiros, é interessantíssima! A sua importância e sua localização, na habitação, foi mudando ao longo do tempo. Antes do surgimento da água encanada, em meados do século XIX, as cozinhas eram um lugar de muita sujeira, ficavam no fundo do quintal e de onde as donas de casa se mantinham longe. Imaginem a trabalheira que era preparar os alimentos sem água encanada, sem eletricidade, sem eletrodomésticos e sem supermercados!

Tempos depois, com água corrente em pias e fogões a lenha com chaminés, a cozinha foi trazida para dentro da casa burguesa. Eram espaçosas e acolhedoras, acompanhadas de uma copa, onde as famílias se reuniam para as refeições informais do dia a dia.

Dominique - Cozinha

Com a urbanização do país, a vida se tornou mais agitada e com a chegada do fogão a gás e da geladeira, na década de 30, preparar alimentos se tornou mais prático. As cozinhas passaram a ficar menores, perdendo a importância para o convívio familiar e pouca atenção recebiam quanto à decoração.

Após a segunda guerra mundial, houve uma proliferação de eletrodomésticos.  Além da geladeira, do fogão a gás, da batedeira e do liquidificador, foram surgindo o freezer, o micro-ondas, a máquina de lavar louça, os fornos de coluna e mais uma infinidade de equipamentos que exigiam maior espaço na cozinha. A indústria de eletrodomésticos bombardeava as donas de casa com comerciais na TV e nas revistas. Nesses comerciais, as donas de casa apareciam sempre felizes, bem arrumadas e de salto alto. Desde então, a cozinha vem se tornado cada vez mais o ambiente protagonista da casa, voltando a ser ambiente de reunião familiar e merecedora de atenção quanto à sua decoração.

Dominique - Cozinha

A partir dos anos 90, começam a aparecer as cozinhas integradas com o estar, moda inspirada nas cozinhas americanas.  Hoje é uma febre. Cozinha tem que estar na sala ou a sala na cozinha. Tem que ter ilha, mesmo que essa, em alguns layouts, mais atrapalhe do que ajude.

Eu adoro cozinha integrada! É aconchegante. A pessoa que está cozinhando (a dona ou o dono da casa) não fica isolada dos demais, participa das reuniões nos finais de semana com os amigos, da gritaria das crianças, da TV ligada na novela… Sem falar de como a cozinha está linda, com acabamentos que se harmonizam com os do living e com todos aqueles equipamentos top de linha que custaram os olhos da cara.

E durante a semana? Feijão no fogo, fritura de bifes e batatas fritas… Mesmo com o exaustor ligado no máximo, não há como impedir que a gordura vá, pouco a pouco, pousando sobre os equipamentos e estofados do living e que o cheiro se espalhe pela casa toda.

Mas há soluções para o problema: ou você muda seus hábitos alimentares, cortando definitivamente frituras ou você pode apelar para soluções arquitetônicas que acredito serem mais eficazes e seguras.

A cozinha também pode ficar isolada do living por portas de correr (em geral de vidro leitoso) que se recolhem, quando a integração é desejável. E outra solução, para quem tem espaço suficiente, é ter uma área separada, para preparar frituras.

Cozinhas podem ser aconchegantes ou com jeito de cozinha da família Jetsons. Ambas têm seus encantos. Mas independente do estilo, cozinhas têm que ser funcionais, com um bom aproveitamento do espaço. E ficam lindas com uma composição equilibrada de texturas e cores.

Escolhi algumas imagens que conceituam cozinhas moderníssimas e cleans ou aconchegantes como cozinha de casa de campo e que servem de inspiração.

Dominique - Cozinha
E aí, o que você achou dessas inspirações para cozinha?

Leia mais:

Que tal apostar nas cores na hora de renovar sua casa?
Jogar fora? Nem Pensar! Renove seus móveis

Avatar
Turna Beck

Turna Beck é arquiteta da Sabendo Decor // Fones: 11-949921000/11-37585128 // turna@thbeck.com.br

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.