Tag: Cuidados especiais

Faça um planejamento financeiro para emergências com seus pets

Dominique - pets
O assunto de hoje é: pets!

Tinha prometido escrever um texto sobre a vida financeira pós-divórcio e eis que surge uma emergência médica! Medico-veterinária!

A Neta “cã” de uma Dominique passou mal; a família já estava doida pensando que a bichinha, uma senhorinha de 13 anos chamada Lollypop Teresa estava tendo um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Correria, família com o coração na mão. R$ 932,00 depois de ser atendida em uma clínica veterinária, descobriram que a espevitada Lollita tem labirintite. Está em tratamento e já está melhor com cuidados, medicamentos e beijos.

No mesmo ambiente, uma colega diz que seu “filho” Toddy está com conjuntivite (já imaginei o drama de se colocar uma pomada no olho de um Yorkshire) e a outra diz que o papo estava bom, mas que tinha que ir para casa porque sua filha canina, a Luna estava com cistite…

Vamos falar então, das despesas de nossos filhos e netos pets em nosso planejamento financeiro. Sim, eles precisam entrar na conta. Claro! Uma parte importante e recorrente em nosso orçamento mensal é destinada a eles.

Não há dúvidas de que para muitos de nós, o animalzinho de estimação faz parte da família. São dedicados, amorosos, engraçados e muito companheiros. Mudam nosso astral para muito melhor. Aqui em casa por exemplo, as filhas que ficam mais felizes quando chego em casa, são a Larinha de 10 anos e a caçulinha Babi de 3 anos, duas Yorkies.

No texto anterior, conversamos sobre os desafios financeiros atrelados ao aumento de nossa longevidade, não seria surpresa que aumentasse também a longevidade nos nossos bichinhos. A surpresa foi saber que nos últimos 30 anos, a longevidade deles praticamente dobrou!

Uma pesquisa realizada em 2015 pelo Hospital Sena Madureira em São Paulo mostrou que cães de pequeno porte, que antes costumavam chegar até os 9 anos, hoje podem viver bem até os 18. Os de grande porte, de 7 anos, passaram para 13. Os gatos que no passado viviam no máximo até os 10, já alcançam os 20 anos.

Está claro que os avanços tecnológicos e aumento da qualidade de vida que nos mantém mais vivos por mais tempo se estenderam para nossos pets também. Existem especialidades médicas, clínicas, alimentos e tratamentos extremamente sofisticados (e caros) para manter vivos e por mais tempo os animais de estimação.

Curiosamente, no mês de outubro, mês que tradicionalmente fazemos o mês de prevenção do câncer de mama, a campanha aconteceu em hospitais e clínicas veterinárias também, “outubro rosa pet”, onde ensinavam aos “pais” como fazer a apalpação das maminhas das patudas durante o banho e o carinho na barriga.

A regra é a mesma e o quanto antes diagnosticado, maiores as chances de cura. Caso diagnosticado um tumor, o tratamento pode ser bastante dispendioso, além de superdesgastante, pois não suportamos vê-los doentes.

A prescrição na maioria das vezes envolve cirurgia, internação, exames laboratoriais, em alguns casos exames de imagem e medicamentos. Não conte com a sorte de tratá-los em hospitais públicos, apesar de excelentes profissionais, não é fácil conseguir vaga.

Com o avançar da idade, assim como nós, os pets necessitarão de mais cuidados e cuidados mais específicos, visitas mais frequentes ao médico, tratamentos e medicamentos de uso contínuo, para alguns, alimentação especial. Para todos, muito chamego.

Em algumas famílias, pensar em um plano de saúde veterinário pode ser uma alternativa interessante. Existem como nos planos para humanos, categorias com preços e serviços diferenciados.

Além de todo esse papo sobre saúde, trazer um pet para casa implica em outras despesas, recorrentes e que não nos questionamos muito em comprar, compramos e pronto.

Por isso, assim como colocamos em nosso orçamento o pagamento do IPTU, IPVA, material escolar, compras de supermercado, devemos incluir em nosso orçamento as despesas mensais e as anuais como visita ao veterinário, troca do enxoval – caminha, guia e coleira, caixinha de areia dos gatos, poleiros novos, vacinas… percebe que essas despesas não são surpresa para nós? Mas se não as contabilizarmos e não nos planejarmos para elas, certamente estas impactarão nosso orçamento.

Pra quem ainda não tem um amiguinho de patas, penas ou escaminhas, vale ressaltar que “vale quanto pesa”. Quanto maior o filho, maiores são as despesas. Por outro lado, para quem pensa que passarinho não gasta nada, saiba que nem todo veterinário atende, principalmente os silvestres (calopsitas e papagaio são exemplos) e os que atendem, cobram “bem”.

Vale uma outra recomendação: aumente sua reserva financeira sempre que “aumentar” a família. Via de regra, dizemos que é importante que tenhamos uma reserva que equivalha a de 6 a 8 meses das nossas despesas mensais. Por isso, não se esqueça de colocar os pets no planejamento.

Para gastar menos:

– Dê aquele abraço apertado no seu “dog walker”, agradeça pelo serviço prestado e reserve um tempo para passear com seu amigo, vocês trocarão altas ideias…

– Gato gosta mais da caixa do presente do que de presentes… dê caixas de papelão e eles amarão você muito mais!

– Se o seu vizinho tem pet também, que tal comprar juntos e dividir a ração? Em muitas lojas, quanto maior a embalagem, menor o preço por kilo, só cuidado para não dar um tiro no pé: comprar um montão e estragar.

Boa alimentação, exercícios, vida social animada e muito amor, bom para você e para os pets!

Até a próxima!
Com carinho, Paula Sauer

Leia mais:

É preciso ensinar suas finanças a lidar com a longevidade
Pet é tudo de bom. Você sabe que ele dura muito, né?

Paula Sauer
Paula Sauer

Economista carioca, que trabalhou por 17 anos em uma instituição financeira, se apaixonou por psicologia econômica e não parou mais, lidar com o comportamento das pessoas em relação ao dinheiro para ela é muito mais do que falar de planilhas e juros, é falar de sonhos, medos e mudanças de hábitos. Paula que também é planejadora financeira não guarda o que estuda só para si, escreve em jornais, blogs e revistas de grande circulação no país. Com mestrado em finanças comportamentais, se realiza em sala de aula, onde aprende e se diverte muito com os alunos.

3 Comentários
  1. É um assunto que preciso estudar… comparar,entender mais. Pode ser sem dúvida uma alternativa interessante. Obrigada Lena!.
    Um beijo
    Paula Sauer

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.