Destaque

A Esposa – Indicado ao Oscar

Com atuação sublime de Glenn Close, “A Esposa” torna-se um filme imperdível.

Há menos de um mês para a cerimônia de premiação do Oscar 2019, dia 24 de fevereiro, escolhi para comentar hoje, entre os indicados, A Esposa. O filme está concorrendo na categoria de Melhor Atriz Drama.

O longa, dirigido pelo sueco Björn Runge foi baseado no livro de Meg Wolitzer e tem roteiro maduro de Jane Anderson. Vem colocando o nome de Glenn Close nos holofotes, e depois do último Globo de Ouro (em que venceu na categoria de Melhor Atriz Drama), Close finalmente surge como a grande favorita ao Oscar. Close faz por merecer e entrega uma das performances interiorizadas mais soberbas dos últimos anos.

Na trama a atriz vive Joan, fiel esposa de um erudito escritor – Joe, papel de Jonathan Pryce. Quando o sujeito recebe seu tão almejado prêmio Nobel da Literatura, cabe à escudeira seguir a seu lado para receber as honrarias na Suécia. Nesta jornada, o roteiro vai revelando aos poucos, mais sobre quem são verdadeiramente essas pessoas além de marido e mulher vivendo felizes para sempre – e para que tudo se esclareça, flashbacks sobre o início do relacionamento na juventude também entram em cena. De forma inteligente, estas peças se encaixam e montam toda a base para que recapitulemos com outros olhos tudo o que vimos até então.

No longa a primeira etapa age como um drama comportamental, descortinando um relacionamento de décadas. Na segunda percebemos o conflito e que algo está errado. E na terceira, as incríveis revelações e grandes surpresas.

No filme descobrimos que ser a esposa de um renomado escritor pode ser uma tarefa muito mais árdua. Ela cuida de seu marido e o acompanha em diversas incursões conseqüentes a seu sucesso.

Joan carrega em seus ombros a responsabilidade de manter o equilíbrio em família.

Ela cuida de seu marido e o acompanha em diversas incursões conseqüentes a seu sucesso.

Joan carrega em seus ombros a responsabilidade de manter o equilíbrio em família.

Ela serve a Joe como uma secretária além de manter-se de olho na saúde de seu marido. Por sua vez, é justamente o seu olhar que carrega a melancolia de quem deixou há muito a plenitude e a felicidade em prol do auto sacrifício.

Björn Runge comanda a empreitada da esposa de um homem mundialmente reconhecido por suas obras literárias. Mas sabe de seus defeitos. Aliás, é justamente por este lado que o conhecemos. Sempre cativante e gentil, não compreende sua esposa. além do filho David, aspirante a escritor. E quando a família viaja à Estocolmo para que o homenageado receba seu prêmio, é possível perceber a fragilidade de Joe perante o assédio de um jornalista ávido por escrever uma escandalosa biografia, interferindo, inclusive, na harmonia da família.

“A Esposa” encara de frente a questão do machismo e da perenidade dos relacionamentos na terceira idade.

“A Esposa” é melancólico e representativo. E sim, trata de abuso passivo de uma forma digna a ser discutida. Dá voz e empodera a mulher, mesmo que tenha passado a vida inerte. Mas igualmente é humano e emotivo, chegando a causar aquele famoso nó na garganta em seu encerramento.

Um ótimo entretenimento!!!

Depois conta para mim se você gostou!

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Repetir roupas, upcycling e o lowsumerism!

Adoro quando alguém famoso repete uma roupa. Sério! Dou até aquele sorrisinho de canto de boca. E não consigo conter o pensamento: “Tá vendo, ela também!”. É que a vida inteira eu escutei comentários sobre a elegância de alguém e o fato de ela não repetir uma roupa. Nunca entendi direito essa relação entre elegância e desperdício. Ou tem?

Ok, ok. Sei que o comentário não se refere apenas ao estilo, mas ao poder aquisitivo de poder comprar novas roupas para cada ocasião. Mas continuava achando um desperdício, kkkk. Primeiro de looks, segundo de dinheiro.

E agora repetir está na moda. E eu estou adorando vivenciar essa mudança de comportamento. Várias mulheres elegantes estão aí pra mostrar que usar várias vezes a mesma roupa não tem problema nenhum.  

E tem mais novidades sobre esse assunto. Vocês já ouviram falar no termo Upcycling? É a reutilização criativa de materiais para transformá-los em novos produtos de melhor qualidade e/ou valor. É diferente de reciclar (downcycling, em inglês), que é reaproveitar, mas transformando em algo de menor qualidade.

É mais ou menos assim. Tem aquela blusa que você gosta, mas já cansou um pouco. Tem aquelas bijuterias que passaram um pouco de moda, mas as pedras são lindas. Upcycling é você bordar a blusa, transformando em uma roupa de noite, por exemplo. Se precisar, vale até tingir o tecido!

Aliás, eu sempre adorei roupas reformadas. Não que eu saiba fazer, porque nem sei costurar uma barra de calças. Mas admiro que tem criatividade de cortar daqui, puxar dali e transformar algo em um produto ainda mais bacana. Taí uma coisa que eu gostaria de aprender um dia.

Consumir menos

Além de upcycling, as novas tendências de moda passam por outros conceitos, que não são apenas os de estilo. Duas delas são bem interessantes: “lowsumerism” e o “slow fashion”. Hoje em dia, as pessoas não estão consumindo, mas são consumistas ao extremo, comprando muito mais do que necessitam.

O conceito do lowsumerism não é apenas consumir menos, mas consumir de forma consciente e equilibrada. O slow fashion é um movimento que se contrapõem ao fast fashion do mercado de moda atual. Bem resumido, é valorizar como e com que material as roupas são produzidas, consumindo também com consciência social.

Nem bem conheci e já gostei. Vamos combinar, né, esse processo atual de extrair, produzir e descartar precisa ter um limite. O meio ambiente não deve aguentar muito mais essa extração desordenada. Sem contar os problemas relacionados ao trabalho escravo.

Mas voltando às roupas repetidas, eu postei no Instagram uma série de fotos com celebridades usando a mesma roupa em ocasiões diferentes. Fala se é ou não é chique?

Anna Wintour
Susan Sarandon
Helen Mirren
Cate Blanchett
Rita Moreno
Michelle Obama
Kate Middleton
Seja a primeira a comentar
  1. Amei o post. Formei meu enteado há pouco e nao concebia a ideia de ter q fazer um vestido de festa q depois nao seria usado. Assim inspirada num look da Consuelo Blocker…que amooo.. essa dominique e sua estilista q entendeu perfeitamente a ideia fizeram uma roupa e acessorios lindos que serao usados em muitos momentos. Elegância e desperdício estao longe de serem sinônimos e reusar uma roupa que traz memórias de felicidade é inspirador.

  2. Amo quando isso acontece formei meu filho ha pouco e nao aceitava ter q fazer um vestido p ser usado somente naquela ocasiao, o q minha estilista entendeu perfeitamente, inspirada num look da Consuelo Blocker fizemos uma linda roupa com acessórios a qual será muito usada em outras ocasiões. Elegância e desperdício nao sao sinonomos ao contrario reusar aquela roupa que te lembra momentos de felicidade e alegria é inspirador.

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

México – Muitas opções em uma só viagem

Li o texto da Elzinha Lucchesi sobre o filme ROMA e me deu vontade de “emendar” o assunto, mas fiquei pensando por onde começar…O México é tão grande! São necessárias algumas viagens para conhecer um pouco apenas. E agora? Bem, Vamos por partes, né?

Você pode conhecer lindas praias, museus, festas inesquecíveis, locais históricos dos mais variados, cidades com turismo arqueológico ou seja, cada região tem suas particularidades .

Eu começaria pela capital mesmo até porque a maioria dos voos chegam lá. Sim, a Cidade do México é meio caótica com milhões de habitantes, mas a vida cultural da cidade é fantástica.

Quer ver? Vou te dar só para dar alguns números, : mais de 160 museus, 100 galerias de arte, mais de 30 teatros enfim…. acho que uns três dias são suficientes para ter uma idéia….

No bairro de Coyoacán , você pode visitar a casa que Frida Kahlo morava ! (com certeza ela era Dominique).

Casa de Frida Kahlo na Cidade do México

Se você como eu gosta de ruínas, templos e afins, a 40 minutos da Capital estão as Pirâmides de Teotihuacán que formavam um centro urbano da Mesoamerica pré-colombiana ( Patrimônio Mundial pela Unesco). Fica a dica.

E agora? Agora Vamos a la Playaaaaaa

Vamos relaxar na infinidade de praias que o México oferece. Yucatán e Quintana Roo, são onde encontramos aquelas praias do Caribe mexicano, como Cancún. Maravilhosa! Mar azul turquesa como nos filmes. Fique pelo
menos 5 dias relaxando.

Eles oferecem centenas de passeios, todos ótimos mas eu faria o que vai até Isla Mujeres. Fica cerca de 30 minutos de barco de Cancun. Lá era considerado o lugar sagrado da Deusa Maia Ixchel, que incorpora a mulher amorosa e a guerreira – (A Dominque na época Maia ?? kkkkk)

As praias de Isla Mujeres praias têm águas calmas e cristalinas, ótimas para mergulhar, praticar windsurfe, entre outros esportes aquáticos.

Isla Mujeres – Mar turquesa

E não menos bonitas e super charmosas, são Playa del Carmen e Tulum , lindíssimas e um pouco mais “relax”,com menos turistas que em Cancun. Em Tulum além das praias de areias branquíssimas, você ainda pode visitar ruínas Maias como o Castelo e o Templo de Los frescos, que tem escondida uma praia linda!  Imperdível.

A única ruína Maia a beira mar está em Tulum

Mas nós amamos praia não é mesmo? Então vamos lá, até porque Cozumel com sua praia Paradise Beach é considerada uma entre as dez mais bonitas do México. E lá você ainda pode mergulhar com golfinhos, olha só que sonho!

Acapulco já foi mais famosa mas perdeu seu posto para Cancun. Agora, as praias continuam lindas além de muitas opções de hotéis e resorts bem variados.

Puerto Vallarta, na costa do Pacífico também é uma das praias mais visitadas do México, bem próxima da Riviera Nayarit.

Agora, se você quer badalar e conhecer um local chique e mais exclusivo, vá para Los Cabos, na baja California.

Bem na ponta entre México e Estados Unidos, tornou-se uma região queridinha dos mais abastados onde o mar é o centro das atenções com diversas praias lindas, passeios de barcos e tudo de mais belo que o México pode oferecer.

Los Cabos – Sofisticada região no Pacífico

Como eu disse, difícil conhecer em uma viagem, e olha que tem muito mais! O que achou das dicas ? Ficou com alguma dúvida? Ou quer compartilhar alguma experiência? Vou adorar trocar ideias com você. Escreve aqui no campo de mensagem que eu respondo, tá? Beijinhos

Maria Mazza
Maria Mazza

Amo viajar e amo conhecer lugares. Sou administradora de empresas, agente de viagens na Engenhotur e Dominique claro.

1 Comentário
  1. O México é um destino incrível de viagem.
    Funciona para lua de mel, viagem com crianças ou até para jovens que buscam baladas.
    Fora as praias e as ruinas , os rios subterrâneos da península Yucatan são incríveis.
    Me deu vontade de voltar para conhecer Los Cabos e a Cidade do México.

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Dom Casmurro não existiria em tempos de redes sociais

Cheguei a uma conclusão. Dom Casmurro, um clássico da literatura universal, não existiria nos tempos modernos. Se o Machado de Assis tivesse um celular nas mãos a inspiração seria outra. Tenho uma certeza! O Bentinho nunca concederia o benefício da dúvida à Capitu se pudesse acessar a internet e vasculhar a sua vida no Facebook ou no Instagram. Com certeza alguma prova da traição estaria lá. Escancarada.

E vamos combinar que a fidelidade em tempos de Tinder é praticamente uma ilusão. Eu já fui uma dessas que na entressafra das relações amorosas vivia nos aplicativos de relacionamento. E não é que de vez em sempre eu encontrava o marido de certas conhecidas por lá?

Confesso que também já me envolvi com homem casado porque o cara conseguiu driblar além de mim, a esposa e umas tantas outras. Tudo ao mesmo tempo! Sempre com o mesmo modus operandi. É impressionante… Chega a ser uma arte essa enganação toda.

Checar para não se decepcionar

É por isso que sou uma “stalkeadora” assumida. Stalkear é uma gíria do idioma português, baseada na palavra inglesa stalker, que significa literalmente perseguidor.

A palavra costuma ser usada para se referir ao ato de espionar ou perseguir as atividades de determinada pessoa nas redes. O que você consegue descobrir por ali cruzando dados é assustador.

Aí eu te pergunto: até que ponto uma traição virtual pode ser considerada infidelidade? Pra mim, traição é traição! A intenção faz o ladrão. É desleal com o outro! Seja no mundo real ou no virtual.

Santo de casa não faz milagre?

Eu tenho uma amiga que sempre foi fria com o marido porque ele tinha um sério problema em se estabilizar no trabalho e vivia pulando de emprego em emprego. O cara até foi pra terapia. A gente achava que era o jeitão dela. Até que o marido descobriu pela redes sociais uma outra versão da pessoa.

Ela se envolveu com um colega do trabalho e era super carinhosa com ele. Se preocupava até se ele alimentava ou não, coisa que nunca tinha feito com o próprio marido.

Resumo da história: ela desabafou com a gente chorando que não rolou nada de mais forte, apenas uns beijos. O cara era casado também. Tinha uma esposa bonita e filhos.

E vocês o que acham? Há limites para as relações virtuais?

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O que fazer e o que nunca fazer nos preparativos de casamento dos filhos

Esse será o grande ano, com o casamento da sua filha ou filho? Aproveita, colega. Mas vamos combinar que esse aproveitar aí tem um limite, hein. Claro que a participação dos pais nos preparativos do casório é sempre bem-vinda.

Alguns filhos cultivam uma grande consideração por esse rito de passagem. Querem a participação da família em todas as etapas. Em outros casos, é a família que gosta da solenidade do casamento, sendo em uma grande festa ou em uma celebração mais simples.

Não importa o tamanho da festa, Dominiques. Antes de arregaçar as mangas para trabalhar, é bom pensar como deverá ser a sua participação durante todas as etapas. Pra ajudar, fiz a minha lista do que fazer (e o que nunquinha fazer) nos preparativos. Vamos lá:

Planejamento

Você pode participar, sim. Mas escute o que os noivos esperam tanto da cerimônia, quanto da festa. Vai ser diferente do que você fez para você ou até imaginou para a festa dos filhos. Pode ter certeza! Mas você pode contribuir, sim. Se tiver alguma ideia mais barata, dica de fornecedor bacana ou se vir que alguma coisa pode sair errado. Esteja sempre por perto.

Lista de convidados

Os noivos determinam a quantidade de convites por família e quem será convidado. Não tente se justificar pra tentar incluir mais uma pessoa na festa. Principalmente se for uma pessoa que o casal não vê há anos! Essa regra também vale se os pais estiverem pagando. A festa dos noivos e eles vão incluir as pessoas mais importantes para eles e para a família.

Roupas

Não use – nunca, em hipótese nenhuma – roupa clara. Branco é só pra filha ou nora, lembre-se. Pergunte qual é o tom ou as cores que a noiva gostaria de ver no altar. Tá na moda o estilo americano de ter madrinhas usando o vestido na mesma cor e até no mesmo tecido. Tente se encaixar aí pra deixar o seu visual harmonioso. Ah, e se a noiva convidar para a prova do vestido, vá! Mas cuidado com as críticas e seja delicada.

Caras e bocas

Nada de cara feia ou comentários indelicados. É comum “passar a história da sua vida” pela sua cabeça, relembrando da infância do seu filho ou filha. Mas ele está formando uma nova família. Se você não aprova, também não faça cara de velório. Respeito pela escolha e compartilhe o momento importante. Também não fique totalmente de fora. Estar por perto é importante para os filhos.

Fotos

A festa é dos noivos. Nada de querer aparecer em todas as fotos ou ficar direcionando os fotógrafos para registrar apenas os momentos com a sua família.

Lua de mel

Aqui não precisa falar que não apenas a escolha do lugar, como a viagem, é exclusiva dos noivos, né. Uma prima distante encontrou as cunhadas passeando no mesmo destino de lua de mel. Mas isso é história para outro post.

E você? Tem dicas para compartilhar com outras Dominiques?

Outras histórias sobre casamento:

Convidada de casamento.

Casei com o homem da minha vida. Daquela vida.

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.