Destaque

Cascais em detalhes – Forte Cidadela

Cá estou eu novamente. E muito feliz com o retorno que tive de vocês Dominiques no meu último texto sobre Portugal. E mais feliz ainda porque esse texto vai também para o blog da Engenhotur. Dominiques, tá aí um casamento legal: Uma agência de viagens de uma Dominique para Dominiques. Certo..Certo..Certo…Vou falar do meu Portugal.

Sei bem que agora é inverno no Brasil, se bem que inverno aí é brando. Mas aqui, onde o inverno é profissional, aproveitamos o verão como se todos os dias da estação fossem dias de férias. Vocês não imaginam o privilégio que é ter sol e dias longos, até porque os têm todos os dias.

E como Agosto é o mês mais movimentado do verão europeu, vou aproveitar para falar de uma cidade portuguesa que amo demais, Cascais, uma cidade da orla portuguesa muito próxima a Lisboa. É um lugar encantador e até que tranquilo de forma que paulistas e cariocas acostumados com a tal “muvuca”, acabam por achar edênico.

Vou contar porque Cascais tanto me encanta e darei algumas dicas seja para quem quer passear seja para quem quer cá morar.

Não entendo como alguém consegue morar longe da orla. Exageros a parte, sair de casa e ir para o trabalho tendo o mar como parte do caminho, já faz meu dia mais iluminado.

A Baia De Cascais é algo de tirar o fôlego.

Baia de Cascais
Baía de Cascais

Portugal é muito famoso por sua luz. Não sei se é por conta da latitude e longitude ou se por estar na pontinha do continente, meio que onde o sol faz a curva. Só sei que a luz daqui faz com que as coisas tenham outros coloridos, outras formas. Só vi algo parecido em Trancoso na Bahia. E imagino que se Trancoso não está na beira do continente, está quase.

Mas esta característica fotográfica de Portugal é amplificada em Cascais. Sim, desculpem, sou bairrista. Não há no mundo luz como a de Cascais num dia de outono, estação aliás que amo cá estar.

Oh meus sais, por onde começar? É tanta coisa.

Vou começar pelo forte por conta de uma história que ouvi.

Uma amiga brasileira contou que foi lá que começou sua paixão por Cascais e por Portugal, quando há anos esteve hospedada no Cidadela, uma vez que este hotel é dentro do forte, senão o próprio.

Fortaleza de Nossa Senhora da Luz de Cascais  situa-se em posição soberana na enseada protegendo e acalantando a chamada Cidadela. Foi construída entre os séculos  XV e XVII, veja só.

Mas como tudo nessa vida, o o tempo pode ser inclemente. E o foi com a Fortaleza. Mas em 2012 aconteceu uma espetacular operação de resgate desse patrimônio . Recuperaram e restauraram toda a fortaleza tornando-a num complexo bacanérrimo.

Hotel Pousada Cascais Cidadela

Fizeram lá o Hotel Pousada Cascais Cidadela and Art District descolado dentro de uma estrutura centenária. Acho bárbaro. E essa é minha primeira dica.

Preciso comentar ainda sobre o Hotel que dentro, existe um bar com pé direito imenso que dá para a recepção. Difícil de explicar. Mas nessas paredes altíssimas você vê uma revoada de passarinhos negros de cerâmica (Bordallo Pinheiro, vou falar sobre isso mais tarde). É inesperado e interessante.

Art District

Bem, o interior do forte tem quatro lados formando uma praça no meio. Do lado direito do Hotel estarão as galerias que definem o local como ART District. Veja foto abaixo. Cada uma dessas portinhas é uma galeria. O andar de cima é sempre o atellier dos artistas representados pela galeria do andar de baixo. É um conceito muiito giro.

Art District – Cada portinha aqui é uma galeria.

Taberna na Praça

E no outro lado vamos encontrar um de meus restaurantes prediletos. Mas calma lá. É um lugar de tapas e comidinhas para partilhar. É o Taberna na Praça. Se o dia estiver bonito, o melhor é sentar do lado de fora com vista para as galerias, para obras espalhadas pela praça e para o azul daquele céu que parece estar apenas a esperar a revoada de andorinhas presas na parede do hotel.


Mas se ficar do lado de dentro, não se decepcionará com um ambiente muito charmoso.

Não deixe de pedir as Favinhas salteadas com coentros e chouriço e Bolinhas de Alheira de Caça para começar. E para sobremesa tens que experimentar Mousse de cacau… a 100% que eles dizem ser a melhor do mundo. Será que é mesmo? Ahhh, vale a pena você provar só para saber se é exagero de português ou não.

Déjà Lu

Dentro do restaurante você verá uma escada. Ela levará obviamente para um outro piso, mas que no entanto não é mais um restaurante e sim uma livraria. Livraria essa com um dos nomes mais interessantes que já vi. É a Déjà Lu porque são livros já lidos porém não consigo chamar de sebo, nada contra, muito pelo contrário. É que os livros são tão bacanas e bem arrumados que parece uma livraria dessas modernas. Mas tem mais. O lucro da livraria se reverte a favor da APPT21 [Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21- no Brasil é Síndrome de Dow].

Nossa..Já escrevi demais apenas sobre o Forte!! Acho que cascais vai dar muitos textos se vocês assim quiserem.

Ah. Faltou falar duas coisas ainda sobre o Forte. Há um museu lá dentro. Mas sinceramente? Só se você tiver muiiito tempo.

E a outra coisa é uma lojinha. Muito muito simpática, numa das portinhas ao lado do Hotel. É pequininha, mas tem muita coisa bacana. E é um dos únicos lugares em Cascais que você encontrará cerâmica da Bordallo Pinheiro. Sim..sim..eu sei. Eu ainda não contei o que é Bordallo Pinheiro. Mas vou contar já já. Lá tem a uma das portuguesas mais simpáticas da cidade, a Claudia que ficou minha amiga de tanto que eu visito aquela loja (desculpe, mas esqueci o nome do estabelecimento).

Leia Também:

Capri – Um destino necessário

Uma diferente exposição em Lisboa

Barbara Godinho
Barbara Godinho

Sou uma Portuguesa meio tropicalizada. Moro em Lisboa, já fui curadora de museu e exposições. Hoje trabalho com turismo. Apaixonei-me pelo projeto Dominique e cá estou a colaborar.

2 Comentários
  1. Vou cá apreender essa bela reportagem…preciso conhecer essa msravilha meu bom Deus. Prnto, está feito o pedido. Espero que Ele me atenda. Bjim

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

No Fim Do Túnel – thriller intenso e arrebatador comprova a excelente forma do cinema argentino

“No Fim Do Túnel” comprova o ótimo momento do cinema argentino. Não é de hoje que vem se tornando referência mundial. São detentores de dois Oscar e presenteiam a todos com obras-primas, como “Relatos Selvagens”, “Um Conto Chinês”, “O Segredo De Seus Olhos” e uma vasta gama de produções de primeira qualidade. Na verdade, além da excelente qualidade em diversos aspectos, se destacam principalmente pelos roteiros bem trabalhados.

“No Fim Do Túnel” é um suspense do cineasta Rodrigo Grande, que também assina o roteiro do longa. Rodrigo Grande, que completou 43 anos, é hoje considerado um dos grandes talentos do cinema argentino.

No longa, Joaquim é um cadeirante que vive em uma casa que passou por tempos melhores. Certo dia, Berta, que trabalhava como stripper, e sua filha, Betty, vão atrás de um anúncio feito por ele para alugarem um quarto. Durante uma noite de trabalho em seu sótão, onde conserta computadores, ele escuta vozes através da parede e conclui que um grupo de homens está construindo um túnel que passa por baixo de sua casa para roubar um banco.

Todos os elementos apresentados servem para o desenvolvimento da história, alguns até meio óbvios, mas como um bom filme de diversas camadas, mesmo os detalhes óbvios são utilizados de forma satisfatória, e surpreendente. Um ponto chave que inesperadamente se transforma em um estímulo em quase todos os aspectos, no qual a partir deste momento os personagens passam a ganhar sua real importância e relevância.

O suspense é criado com uma boa fotografia e bons diálogos, assim como a trilha sonora, que acerta e traz para o telespectador um clima de tensão. A narrativa fica então intrigante e de forma tão atrativa, que o diretor passa a construir um ambiente angustiante, no qual Joaquín, com seus motivos, tenta afetar diretamente o roubo através de seus artifícios.

“No Fim Do Túnel” também conta com atuações excelentes de Clara Lago, Pablo Echarri e Leonardo Sbaraglia (Joaquín), que também atuou em Relatos Selvagens, talvez o mais internacional dos atores argentinos, depois de Ricardo Darín, é claro.

Acreditamos na deficiência do protagonista, e o ator Sbaraglia faz isso com maestria, e com um excepcional trabalho corporal, além de trabalhar todos os nuances do personagem que aparentemente parece arrogante e posteriormente afável. Já Clara Lago (a stripper Berta) ganha a simpatia de Joaquín e do público, Além de reservar um grande mistério. E Pablo Echarri entrega toda a imponência de Galereto, o chefe da quadrilha.

A trama criada para relacionar cada personagem e suas respectivas histórias funciona bem. Desde Betty, filha de Berta – que ganha uma importância muito grande na narrativa – até o homem que está por trás de todo roubo, são encontradas boas soluções no roteiro e que caracterizam um filme singular.

Com um final conturbado, cheio de reviravoltas, bons diálogos, “No Fim Do Túnel”, em seu desfecho consegue prender a atenção do público – algo extremamente necessário em um longa criminal e de suspense com estrutura clássica. E mais que isso consegue explorar de forma concisa um protagonista cadeirante que sustenta bem o filme em sua grande parte.

Assista o trailer

Mais do cinema Argentino


Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

E chegou o dia de renovar minha CNH

Quando fiz 55 anos, uma amiga a Fernanda ligou para dar parabéns e antes de desligar falou :

– Não esquece que esse ano temos que renovar a Carteira de Motorista.

Se ela não tivesse falado, é bem capaz que eu ficasse com minha CNH vencida até algum guarda me parar. Porém avisada, fui verificar minha situação r como só podemos agendar um mês antes do vencimento que seria dia 19 , fiquei desde janeiro com isso me martelando a cabeça.-Eliane, não vai esquecer de renovar a CNH. Eliane, marca na agenda. Eliane não deixe para última hora. Affffffffff..Não sei o que aconteceu comigo para me dar essa aflição toda. Enfim, hoje, 22 de agosto (quaaaaaase um mês antes) fui ao Poupa Tempo. Mas aí já que ia fazer uma coisa, resolvi fazer muitas:

  • Tirar o novo título de eleitor digital
  • Tirar novo RG (alguns lugares não aceitam RG com mais de 10 anos. Bancos por exemplo.)
  • E a CNH

Chequei e “rechequei” um milhão de vezes para ver se estava levando todos os documentos pedidos. Passei no caixa automático para sacar $$ uma vez que o exame médico só é pago em $$. Tudo direitinho e nos mínimos detalhes..

Olha, se tem uma coisa que funciona em SP é esse tal de Poupa Tempo viu? Atendentes solícitos e educados, uma organização impressionante, democrático pra caramba e tudo super digitalizado. Quer dizerrrrr, quase tudo…

O Título

Comecei pelo título. Moleza apesar de ter tido que mudar meu local de votação. Claro, não moro mais na casa de minha mãe!! Mas eu adoooraaavvaaaaa votar no Sacre Coeur. Voto lá desde 1982. Questões sentimentais. Expliquei tudo isso pra mocinha que sorridente negou. Bem, faz parte. Ahh, mais um detalhe sobre meu título de eleitor. Esse era o último documento que eu tinha com meu nome de solteira. E não pude ficar com o antigo. A mocinha simpática tomou de mim.

Vamos ao RG.

Entro numa filinha rápida para pegar senha. Fazem uma prévia e qual não é minha surpresa quando descubro que deveria ter imprimido o comprovante de pagamento.

-Mas por que??? Eu tenho ele aqui no meu celular. Eu mando pra vcs!!

-Não..A Sra vai ali naquela fila e pode imprimir de graça.

Crianças amadas, se eu contar que fiquei nessa fila para imprimir o comprovante mais de 45 minutos vcs acreditariam?

Bem voltemos ao RG.

E aí tem que tirar foto. E essa vai ser a foto que me acompanhará pelos próximos 10 anos. Olha, hoje de manhã eu demorei um bocado pensando na roupa (só aparece o ombro eu sei, mas não queria ficar grandona na foto), arrumei o cabelo, fiz uma maquiagem leve mas caprichada. Pq afinal de contas o nosso RG passa de mão em mão! Ele é impresso, xerocado, anexado, digitalizado, conferido..Ahhh, se tem uma foto que não quero estar horrorosa é essa.

Quando sento no guichê, vejo que tem uma outra Dominique do meu lado esquerdo e uma menina linda do meu lado direito. Todas passando batom, todas pedindo para o atendente ser generoso, e todas as 3 pediram para refazer a foto. O trauma da foto no RG parece que é universal…

E agora vamos a CNH.

Tuuudooo de novo. Mas dessa vez ainda tem exame médico e guichê de pagamento. Confesso que já estava ficando cansada, já estava no Poupa Tempo há duas horas e tanto. E já estava me preparando para tirar mais uma inevitável foto para o novo documento, veio a grande notícia.

-A Sra quer tirar uma foto nova para carteira ou quer usar a antiga?

-Como assim? Eu posso usar a minha foto com 50 anos???????

-Se quiser, pode. Até hj foram raras as mulheres que quiseram trocar.

Gente que boa notícia!!! Não só não preciso passar pela agonia da foto ficar boa ou não, mas ainda melhor, não vou ter MAIS UM registro do passar do tempo na minha gaveta de documentos. Nada contra o passar do tempo, aliás me dou muito bem com ele. Mas a sequencia de carteiras de motorista, de RGs, de Passaportes confesso, acho meio cruel..

Leia Também:

E se Woodstock tivesse acontecido no Brasil?

Eliane Cury Nahas
Eliane Cury Nahas

Economista, trabalha com tecnologia digital desde 2001. Descobriu o gosto pela escrita quando se viu Dominique. Na verdade Dominique obrigou Eliane a escrever. Hoje ela não sabe se a economista conseguirá ter minutos de sossego sem a contadora de histórias a atormentá-la.

Seja a primeira a comentar

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

As vantagens e as desvantagens de ser uma Dominique

As Dominiques foram chegando quietinhas ao prédio do We Work, em São Paulo, para o nosso encontro. Nem pareciam as mesmas mulheres que uma hora depois estariam falando juntas, conversando e dando muitas risadas. Algumas já se conheciam, outras era a primeira vez num encontro organizado de e para mulheres de mais de 50 anos. 

Foram 3 horas de um bate-papo descontraído, mas muito inspirador e estimulante. E porque não usar o neologismo “empoderador”, já que somos mulheres com vigor e energia de sobra? A sala estava lotada. Mais de 40 Dominiques participaram do encontro. 

O encontro foi realizado num espaço para eventos do escritório compartilhado We Work, onde fica o QG da Dominique. Duas sortudas  ainda ganharam de presente do pessoal do cowork dois lugares para trabalhar de graça por um mês. Tá bom ou quer mais? Tem mais sim: a Dominique Luciene Felix Lamy presenteou outras duas Dominiques com leitura de mapa astral. 

A conversa começou por uma discussão bem rica. A Dominique Eliane Cury Nahas perguntou sobre a sensação de ter mais de 50 anos nos dias de hoje. A maioria sabe que os rótulos de antigamente já não nos servem mais. Ninguém se sente uma “senhorinha” ou quer parecer uma idade que já ficou para trás. 

Todas concordaram que muita coisa mudou. Na realidade, há inúmeras vantagens e desvantagens em ser uma mulher de mais de 50 anos com as características de uma Dominique. E boa parte da nossa conversa girou em cima dessas características. Vou fazer um resumão de tudo o que falamos! 

Desvantagens de ser uma Dominique

Empregabilidade

Não se trata falta de disposição para trabalhar ou ter a capacidade. Infelizmente, o mercado de trabalho já não absorve mulheres mais velhas. Há algumas iniciativas para ajudar na recolocação profissional. Um dos caminhos discutidos foi a reinvenção.

Mudanças no Corpo

Esse assunto rende. Mas sabe o que a maioria disse? O corpo mudou mesmo e já não há mais aquela pressão em ser super magra. Claro que não é para se descuidar. Um medo evidente entre as Dominiques foi com relação à plástica e ao risco do exagero. 

Relacionamentos

A principal queixa foi a falta de companheiros disponíveis. As Dominiques estão em sua plenitude e ainda convivemos com alguns estigmas antigos sobre a independência feminina. Mas nenhuma se deixa abater por isso não. 

Ninho Vazio / Ninho Cheio

Houve aqui uma grande empatia. Todas sabem que ficar sem os filhos em casa foi um grande desafio. Mas uma vez que a liberdade chegou, ahh…. perdê-la é complicado. É que a volta dos filhos tira da rotina e até a convivência é mais difícil. 

Roupa

A eterna discussão. O problema aqui não é ser Dominique. Mas achar roupas em tamanhos adequados e que não nos deixe com a aparência de muito mais velha. Muitas lojas não têm modelos interessantes para mulheres mais velhas, que não querem parecer jovens demais. 

Mas sempre há os dois lados da história, certo? Claro que há inúmeras coisa boas em ser uma Dominique. Afinal, são mais de 50 anos vivendo, aprendendo, quebrando a cara e retornando lindíssimas 🙂

Vantagens de ser uma Dominique

Experiência

Hoje sabemos o que gostamos, como gostamos e – principalmente – o que não gostamos. Além disso, podemos dizer um sonoro “que se dane” para as pequenas bobagens da vida. Aprendemos mesmo que o que vale é o nosso bem-estar.

Paciência 

As Dominiques já não levam tudo tão a ferro e fogo. Por isso, ficam um pouco mais maleáveis e já não entram em atrito por pequenas bobagens. Mas também já não gastamos tempo com coisas que só nos fazem perder tempo…

Opinião dos outros

Sabemos muito bem dos nossos melhores atributos. Então, a opinião dos outros já não pesa mais como pesou até alguns anos atrás. E aprendemos a reconhecer o que é tóxico. Também aprendemos que a nossa felicidade não é perene, mas formada de pequenos momentos e que aproveitamos ao máximo.

Aceitação

As Dominiques já realizaram conquistas importantes. Mas também aceitam muito melhor o que não podem mudar. Hoje, a plenitude está em reconhecermos as conquistas que tivemos sobre a mulher que fomos alguns anos antes. O que você conquistou?

Ser Inspiração

A Luciene contou a história mitológica do início da Guerra de Tróia. Uma longa história curta – um dia conto ela inteira – a batalha começou após uma disputa no Olimpo pela escolha da deusa mais bonita. Afrodite ganhou porque todos se curvavam a sua imensa beleza. E  ela tinha apenas um “inimigo”: Cronos, o deus do tempo. Não se trata de não cultivar a beleza. Mas sobre colocar o foco nas nossas conquistas e no que cultivamos até hoje.

Hoje as Dominiques são modelo e a inspiração para muitas mulheres mais novas. Como afirmou a Dominique Beth Penteado: a vida já não é mais linear, como foi na época de nossas mães e avós. Não há mais um roteiro a seguir. Hoje somos nós que estamos trilhando esse caminho para a próxima geração de mulheres de mais de 50 anos. 

A gente conversou muito. E o encontro acabou com aquela vontade de queremos mais! Quem sabe esse não foi só o começo? 

Outros eventos para Dominiques:

Pequenos Encontros, Grandes Histórias

5 Comentários
  1. Próximo quero participar…
    Certeza será bom conversar com as iguais e aprender.
    Um.abc “Dominique”s
    Geralda SBC SP

    1. Oi Elaine, tudo bem?
      Ser Dominique é ser uma mulher de mais de 50 anos. É ser ativa, com muita vontade de viver e muita disposição pra isso. Infelizmente a sociedade não nos enxerga assim. Há ainda muito preconceito, sem falar uma certa discriminação conosco. Esse espaço é para gente mostrar quem é essa nova mulher de mais de 50 anos. Temos este site e perfis nas redes sociais. Tb temos um grupo no Facebook? Combinamos por lá os eventos. E tem muitas conversas ótimas por lá tb. O link do grupo é esse aqui: https://www.facebook.com/groups/dominique/

  2. Perfeito o texto.
    Colocou todos os pontos de uma maneira muito clara.
    Parabéns a DOMINIQUE que fez este relato.

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O livro de receitas das Dominiques

Você já está participando do nosso Grupo das Dominiques? Está super movimentado, todo dia tem uma novidade por lá. Foi no nosso grupo que surgiu a ideia de criarmos O Livro de Receitas das Dominiques. As únicas regras para enviar os cardápios foram: ser light e ser para servir no jantar. 

Muitas Dominiques aderiram ao nosso projeto em grupo e enviaram as suas sugestões de pratos com baixa caloria. Outras apoiaram a iniciativa e já querem guardar as receitinhas. Eu também adicionei algumas ideias de comidinhas que eu gosto muito. A partir de agora vamos transformar esse post no nosso livro de receitas. O que você acha? 

A opção pelos alimentos leves no jantar tem uma explicação. E se você é Dominique pode se identificar com os motivos. O primeiro deles refere-se às mudanças físicas e nutricionais que passamos após os 50 anos. Além disso, precisamos ingerir quantidades ideais de alimentos e redobrar a atenção para a qualidade nutricional.

Acho que 10 entre 10 Dominiques vão concordar. O acúmulo maior de gordura abdominal preocupa algumas mulheres e o ganho de peso geral tira muitas outras do sério. Mas não precisa perder a cabeça, o sono e nem viver só de alface! O caminho é selecionar um cardápio balanceado e muito saboroso. 

Cardápio para as Dominiques

A seguir você verá algumas receitas minhas e outras compartilhadas pelas Dominiques no nosso grupo. Tem algumas super originais, nunca tinha experimentado. Deu água na boca!!!

Omelete de Berinjela

Salada de Atum com Abacate

Frango com molho Teriyaki

Torrada de batata doce

Espaguete de Abobrinha

Salmão Mediterrâneo

Crepioca Light

Mais posts com receitas

Cardápio de praia

Receitas com bacalhau

2 Comentários

Comentar

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.
CADASTRO FEITO COM SUCESSO - OBRIGADO E ATÉ LOGO!
QUER MAIS CONTEÚDO ASSIM?
Receba nossas atualizações por email e leia quando quiser.
  Nós não fazemos spam e você pode se descadastrar quando quiser.